Papel Principal

29-Novembro-2007

Fóruns, antenas abertas e outras falas na rádio

Filed under: dicas,mediatraining,radio — Pp @ 22:36
Tags: , , , , ,

O povo gosta de falar na rádio.

Não sei se gosta de falar na rádio, ou de se ouvir na rádio.

Os importantes, vip´s, políticos, peritos e comentadores também gostam de se ouvir.

E de influenciar o mundo pela palavra.

Mas nestes programas há uns cromos que aparecem quase sempre e se o assunto é árido, notam-se a léguas. São os profissionais dos “programas do paleio”.

Ora decidi democratizar o acesso a estes fóruns de chamadas telefónicas contando alguns dos segredos que o podem fazer a si – caro leitor – um caso de sucesso na rádio.

Já agora importa ficar a saber que primeiro é preciso entrar para depois impressionar. 

  1. Ligue para a rádio logo que abram as inscrições. Fique atento. Geralmente as rádios escolhem uma hora regular para divulgar o tema e o telefone para onde ligar. Como geralmente só há um produtor do outro lado da linha prepare-se para carregar muitas vezes no botão de “repetir a chamada”

  2. Seja paciente. A espera pode levar até meia-hora até conseguir a sua inscrição.

  3. Uma boa táctica para conseguir subir na lista de entrada “no ar” é oferecer nessa primeira chamada uma frase forte ou resposta atractiva ao tema.~

  4. Desligue o rádio antes de entrar no ar. Evita o “feed-back”, aquele assobio agudo na rádio. As estações de rádio colocam no seu telefone o som que está a sair na rádio.

  5. Identifique-se. Se a sua função ou trabalho for importante ou relevante para o tema, diga-o. Dá-lhe credibilidade e distingue-o do “povo” que fala ao seu lado.

  6. Escreva num papel os dois ou três pontos que quer tocar na sua intervenção. Não para ler, mas para saber. E que sejam coisas simples e curtas.

  7. Se vai citar factos ou números, cite as fonte

  8. Seja simpático, não seja bronco nem rude. Não ataque os outros ouvintes ou o jornalista que conduz o programa.

  9. Não se esqueça que uma das funções do moderador é manter um programa com bom ritmo. Por isso não se aborreça se ele o interromper quando se está a alargar em argumentos longos e desinteressantes.~

  10. Sobre estes programas, perceba que 8 em cada 10 ouvintes são conservadores para não dizer reacionários. Mesmo que pareçam  comunistas, são consevadores do seu status quo. E esses grupos organizam-se profissional e metódicamente para ocupar os espaços nas antenas abertas.

(mais em Wal-Mart Member Education Kit May 2005)

Anúncios

25-Outubro-2007

Bebés, coincidencias e o raio das estatísticas

Um bebé morto na barriga da mãe é uma tragédia.

Cinco bebés mortos num mesmo hospital é “uma coincidencia infeliz

Vale bem o prémio nobel ao sound-bite patético do ano.

Quem vê ou ouve pode acreditar num primeiro momento. Mas a eficácia desta declaração substitui-se rapidamente pela dúvida.

Instalada e permanente.

E o raio dos consumidores de notícias são desconfiados pra burro.

São intuitivos e emocionais.

Um choque frontal com a frieza dos médicos a contar mortos.

Cinco fetos-mortos no Hospital do Barreiro desde Setembro DR “Coincidência infeliz” O Hospital do Barreiro registou cinco fetos-mortos desde 20 de Setembro, um valor próximo do total de 2006 e que foi explicado como uma “coincidência infeliz”, noticiou hoje a rádio Antena 1.
Cinco fetos-mortos no Hospital do Barreiro desde Setembro –

RTP Informação

14-Outubro-2007

Manual de surf político

Filed under: futebol,politica,radio,som do dia — Pp @ 15:10
Tags: , , ,

É a frase do dia.

Ou como "eu sobrevivo a qualquer líder"

Ou no PCP os líderes mudavam menos mas todos estavam com ele.

Rei morto, Rei posto.

É a Visão de Zita. Sempre na crista da onda.

Viva o líder. Tudo pelo líder. Estou contigo Marques Mendes Luís Filipe Menezes

ZITA SEABRA

«Quando se perde não se deve levar a bola para casa»

O momento não é para amuos, considera Zita Seabra, que por isso aceitou continuar a ser vice-presidente do PSD, depois de ter ocupado este cargo durante a liderança de Marques Mendes. Esta social-democrata considera que no partido e na política «quando se perde não se leva a bola para casa».
TSF Online

Create a free website or blog at WordPress.com.