Papel Principal

2-Dezembro-2007

Republique-se, diga estupidez e faça-se merecedor de crédito

Uma das coisas mais divertidas dum blogue é a sua excessiva visibilidade e falsa sensação de credibilidade.
Vejam só, eu posso escrever aqui a maior alarvidade do mundo e muitos leitores podem acreditar apenas porque está escrito em letra de forma.
É mais ou menos como os jornais ou as televisões.
Podem escrever, dizer ou mostrar as coisas mais bizarras ou surrealistas, mas todos nós tendemos a acreditar nelas.
Amplificar e credibilizar. Quem aprender estas duas palavras terá longa vida mediática.

Anúncios

27-Novembro-2007

Tabaco ou a resistência dos fumadores

“Há muita gente ansiosa por Janeiro para se vingar dos fumadores.”

António Conde Pinto, presidente da Unihsnor – União das Empresas de Hotelaria, a propósito da nova Lei do Tabaco que entra em vigor a 1 de Janeiro de 2008. Diário de Notícias, 27/11/2007

Frase do dia.

Porque será?

Vale pelo “sound-bite”. Demonstra quanto os hoteleiros e donos dos restaurantes são quase tão retrógados como os taxistas.

Em termos de comunicação fez uma bela frase. Para os que não querem fumar, mas respirar – como eu – soa-me a ofensa.

9-Novembro-2007

As vacinas ganham eleições

Qual a razão principal para tornar a vacina do cancro do colo do útero grátis?

As próximas eleições. Ganhar as próximas eleições.

Sem estudos científicos ou técnicos disponíveis que suportem o anúncio do primeiro-ministro tratou-se de pura manobra política.

Aliás quando um governante toma uma decisão ao arrepio ou sob completa ausência de estudos de suporte justifica-a sempre como uma decisão política. Como se as decisões políticas num país civilizado não tivessem que ter razões fortes.

Claro que o primeiro-ministro não quer saber disto. Não lhe convém. É a política.

O mesmo José Sócrates nos atira com estudos de peritos para justificar a escolha da Ota para o novo aeroporto ou a inocuidade da inceneração de resíduos perigosos, omite a sua ausência no caso da vacina.

Transforma a decisão num mero artifício ou meio para atingir o seu fim: ganhar as eleições.

Tal como Durão Barroso – lembram-se – quando prometeu e ofereceu a vacina contra a meningite.

Caro Dr. Filipe Menezes comece já a procurar uma vacina para o guindar ao poder. É uma palavra mágica.

Mas faça como os outros: decida primeiro e arranje depois umas justificações duns médicos quaisquer.

31-Outubro-2007

Pensamentos e sound-bites

Filed under: frase do dia,pensamento do dia,politica — Pp @ 12:00
Tags:

Se dez por cento dos pensamentos dos políticos fossem falados, teríamos uma tonelada de sound-bites por dia.

Alô Procurador, escuto!

O problema do Procurador não é ser escutado, é que não o escutem.

Por isso atribuio-lhe o Nobel da Comunicação Papel Principal. Pela ondulação criada pela sua entrevista. Pelo sorriso trocista na comissão parlamentar. Aposto que até deve ter trocado sms´s de brincadeira com os seus amigos.

Este homem promete. Só falta agora ler-mos num qualquer jornal declarações bombásticas do Procurador a dizer mal do Sócrates e do Cavaco.

Escutas ilegais, claro.  Mas tão saborosas.

Site no WordPress.com.