Papel Principal

23-Setembro-2007

Metrossexual

Filed under: Sem categorias — Pp @ 18:15
Tags: , , , ,

i2

i1

A pedido de várias famílias e com a precisosa ajuda da revista Máxima segue a
definição de metrossexual..

Um novo género masculino?

Sabe o que é um metrossexual? O conceito não tem nada de novo.

É apenas um heterossexual que abraçou o seu lado feminino.

Por Manuela Gonzaga

Falamos de um homem cosmopolita (metro, de metrópole) e usamos um termo que tem uns anos. Mark Simpson inventou–o em 1994 em Here Comes the Mirror Men (1). Quanto à promoção da metrossexualidade, esta tem a assinatura da imprensa especializada. Leia-se Face, GC, Esquire, Arena. Mas a concretização do género escapa ao domínio da moda e abrange já uma área mais vasta, sociologia, antropologia, incluídas. Antecipando a definição, recordemos apenas que, desde os finais dos anos 80, a publicidade e o cinema têm procurado “sangue” novo num filão até aí inexplorado. Homens fotografados com bebés ao colo. Homens que tomam conta de crianças, um tema recorrente na comédia, com sinal positivo ao seu desempenho. Homens que, se for preciso, se disfarçam de mulher para ter acesso aos filhos (como no filme Mrs. Doubtfire). Entenda-se, à sua proximidade (porque o tribunal decretou que o pai devia ser separado das crianças, e a mãe leva o interdito à letra, mas não recusa a governanta gordinha e boa cozinheira, que milagrosa e inesperadamente se apresenta para trabalhar).

Mas o metrossexual vai mais longe. Não quer mudar de pele, nem de roupa, nem de género, nem de orientação sexual – dá-se muito bem com a sua. Aliás, trata muito bem dela. Só que, e para ele, os territórios “interditos” do gineceu, supostamente feudos absolutos da mulher, não lhe são alheios, nem interditos. Um metrossexual adora cozinhar, está a par das tendências da moda em todas as suas declinações – desde a roupa aos acessórios, passando pela arquitectura de interiores e música – e se tiver filhos, ou se a mulher que ama os tiver, sente-se completamente à vontade no mundo dos biberões, das fraldas, dos passeios ao Jardim Zoológico, das conversas gugu-dádá.

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: