Papel Principal

30-Julho-2007

Um imagem por mil palavras

Filed under: Sem categoria — Pp @ 10:41
Tags: , ,

Imagem do dia.

Aplicação perfeita do conceito de comunicação não-verbal.

Dica : Não diga, mostre!
Anúncios

25-Julho-2007

Frase do dia: "chulo"????!!!!

Filed under: Sem categoria — Pp @ 11:29
Tags: , ,


É a frase do dia.
Sem mais comentários.
Prova que nem é preciso conhecer o contexto para perceber a eficácia comunicativa dum insulto.

Jaime Ramos chama “chulo” a deputado
O líder da bancada social-democrata Jaime Ramos acusou ontem Edgar Silva (PCP) de ser “um chulo da sociedade“, “um desgraçado, um vadio que viveu à custa das esmolas e da Igreja” e “vive do Estado e do ordenado da região”.
Por considerar “um insulto e uma ofensa pessoal, indigna e ignóbil”, o deputado comunista, que em anterior legislatura foi ameaçado por Ramos de “levar um tiro nos cornos“, anunciou que vai processar por “grave difamação” o deputado e secretário-geral do PSD na Madeira.

24-Julho-2007

Ministra da Educação arquiva processo Charrua

Filed under: Sem categoria — Pp @ 14:16
Tags: , , , , , ,

Um laivo democrático num governo autoritário.

Como é bom viver numa democracia onde a imprensa é livre e há eleições de tempos a tempos.

O contra-poder pôs o poder dentro da demecracia outra vez

Aparentemente serviu de emenda.

Já agora: se a decisão foi tomada porque não dá a cara para falar do assunto, senhora Ministra?

Caso DREN: Ministra arquiva processo de Charrua, sem aplicar sanção disciplinar

Lisboa, 24 Jul (Lusa) – O processo disciplinar instaurado a Fernando
Charrua foi arquivado pela ministra da Educação, que decidiu não aplicar
qualquer sanção ao professor por considerar que o comentário jocoso que fez à
licenciatura do primeiro-ministro se enquadra no direito à opinião.
Num despacho datado de segunda-feira e divulgado hoje, a Maria de Lurdes Rodrigues defende que “a aplicação de uma sanção disciplinar poderia configurar uma limitação do direito de opinião e de crítica política, naturalmente inaceitável“numa sociedade democrática, uma vez que as declarações de Charrua não visavam um superior hierárquico directo”, mas o primeiro-ministro, José Sócrates.

“Assim, determino o imediato arquivamento do processo”, refere Maria de Lurdes Rodrigues.

Senhor Primeiro-Ministro pague aos figurantes, por favor

Filed under: Sem categoria — Pp @ 10:21
Tags: , , , , ,

Depois do delicioso episódio do arrebanhamento de ilustres cidadãos de Cabeceiras de Bastos para servirem de cenário para o discurso de vitória de José Sócrates nas eleições de Lisboa, agora chegou a vez das criancinhas.

Pois é: quem quer circo, paga aos palhaços.

E assim para todos ficarem bem na foto, para uma perfeita iniciativa de mostrar ao povo as virtudes tecnológicas dum governo em acção, houve necessidade de arrebanhar uns quantos figurantes.

E o que fez o Governo, ou a empresa que vende os tais quadro electrónicos: comprou umas quantas criancinhas para se fingirem de alunos.

A estratégia – bem pensada, bem montada, mas de resultados negros – falhou.

Porquê: porque na sala onde o PM sorria e as crianças ganhavam uns trocos para as férias, havia uns malucos a fazer perguntas e a estragar a foto perfeita.

E quando um jornalista pergunta e uma criança responde de brilho nos olhos, a verdade transpira.

É a lição do dia: Tudo que é genuíno fica bem na TV.

Ou pelo contrário: O meu assessor de imprensa tem demasiado dinheiro por cada neurónio. Muito dinheiro, muita vontade de pintar bonito quadro, só pode dar barraca

ALUNOS RECRUTADOS

A ideia era mostrar as potencialidades da utilização dos quadros
interactivos numa sala de aula. Sentadas em carteiras, cerca de uma dezena de crianças respondiam ao “professor” e faziam os exercícios descritos no quadro, com ajuda do rato ou de uma caneta especial que faz as vezes de giz. Só que para além da sala improvisada no Centro Cultural de Belém havia algo mais encenado.
Os “alunos” eram crianças que tinham sido recrutadas por uma agência de casting: a NBP, num trabalho que rendeu 30 euros a cada um, de acordo com o relato feito por um dos miúdos à RTP. “A empresa propôs fazer a apresentação aqui no local para que pudéssemos todos perceber como funcionam [os quadros interactivos]”, explicou a ministra da Educação, sublinhando que esse era um pormenor muito pouco relevante perante o investimento hoje anunciado.

in Público

22-Julho-2007

Coice neles

Filed under: Sem categoria — Pp @ 16:14
Tags: , , ,


Li, deliciei-me e decidi partilhar convosco esta reflexão do blog “O Jumento“.
Essa guerra da liberdade de imprensa e de expressão tem muito a ver comigo.
E começo a pensar que isto só vai lá com um belo coice!
Proponho usar descaradamente o poder – imaginário, claro – do longo braço da informação para escoucear este imbecis que tentam por um freio na minha boca.

Menos liberdade de opinião e de informação apenas terá um resultado: menos democracia e mais corrupção, e quem defende fórmulas mais ou menos subtis de condicionar a liberdade de expressão está a defender a incompetência e a corrupção.

21-Julho-2007

A Miss Playboy não devia ser bonita?

Filed under: Sem categoria — Pp @ 18:58
Tags: , , ,

Lição de comunicação não-verbal.

A miss Playboy Liliana Queiroz teve um azar. Uma pulseira malandreca abriu-lhe o decote e ela ficou de mamoca ao léu. Nada de especial para uma miss da Playboy.

O assunto merceu várias fotos na imprensa internacional e faz capa do Correio da Manhã de hoje.

Mas proponho-vos um olhar menos erótico e mais frio sobre a foto e as suas percepções.

Quando viram a foto a primeira vez, e depois de dirigir o olhar para o mamilo, como reagimos?

Partilho convosco a minha reacção à foto.

Aquela fracção de pensamento incontrolada e incontrolável.

Aqueles 3 a 7 segundos com que julgamos um alguém fotografado ou filmado.

Disse para mim

A miss Playboy Portugal é assim tão feia? E velha?

Meu Deus!

Patrões e o tiro no pé

Filed under: Sem categoria — Pp @ 10:47
Tags: , , , , , ,

Ter uma mensagem clara, curta e concisa é um bom principio para que ela rompa as barreiras da imprensa e chegue aos destinatários.
Portanto e na óptica exclusivamente da comunicação, dizer uma barbaridade pode ser útil para uma maior eficácia.
O pior é que se a frase ou ideia forem transformados em mensagem demasiado clara podemos criar o efeito tsunami. E depois não adianta nada correr atrás da onda mediática com um balde de praia a tentar apanhar a água toda. A tentar desdizer o que se disse de forma tão rotunda.
Se a mensagem quebrou a barreira do som, haverá vidros partidos. E não adianta tentar cola-los com saliva.
Por esse efeito tsunami ou tiro no pé foi desta vez executado pelos patrões.
Basta ver a notícia que está hoje em todos os jornais, tv´s e rádios e que agora os mesmos patrões tentam parar munidos do seu baldinho de praia.
Pois é: as construções na areia são muito lindas enquanto estão húmidas (ontem) mas quando secam em dia de vendaval (hoje) sujam os olhos.

Confederações querem possibilidade de despedimento por razões ideológicas
As confederações patronais pretendem que venha a ser possível o despedimento por motivos políticos ou ideológicos, defendendo por isso o fim do artigo da Constituição que impede esta possibilidade. Em comunicado, estas confederações defendem ainda a limitação da greve aos interesses colectivos profissionais.
As confederações patronais pretendem eliminar da Constituição o artigo que impede o despedimento de trabalhadores por motivos políticos ou ideológicos, uma vez que
esta situação limita o despedimento individual.

in TSF

18-Julho-2007

Acidente aéreo, sindicalista ao ataque

Filed under: Sem categoria — Pp @ 12:25
Tags: , , , ,

Um avião da companhia aérea brasileira TAM despenhou-se no aeroporto de Cogonhas em S. Paulo.

Morreram mais de uma centena de pessoas
No minuto do acidente estava a chover e a pista estava alagada.
Estes são os factos.
Óbviamente ninguém investigou com rigor as causas do acidente. Desde o erro do piloto, à chuva ou o alagamento da pista sem canais de escoamento, todas as hipóteses valem.
Pois é. Mas mesmo antes de qualquer coisa ser investigada há que defender os seus interesses.
É o que faz um sindicalista dos pilotos citado pelo “Estadão” de S. Paulo.
Bilhante no timing, brutal nas palavras e criando a frase do dia.
Estratégicamente construiu uma realidade mediática que pode condicionar a realidade a favor do seu interesse.

O acidente com o Airbus A-320 da TAM foi causado pela falta de ranhuras
transversais na pista principal do Aeroporto de Congonhas, reaberta em 29 de
junho. A afirmação é do agente de segurança de vôo do Sindicato Nacional dos
Aeronautas, Carlos Camacho. As ranhuras – chamadas de grooving e necessárias
para o escoamento de água – só podem ser feitas no concreto da pista um mês
depois de ela ficar pronta. Isso porque é necessário que o concreto se consolide
para as máquinas executarem o serviço. Sem isso, a água pode empoçar e causar
aquaplanagem.

Era de se esperar que isso ocorresse“, disse Camacho. “A
solução agora é enterrar os mortos.” O sindicalista também culpou a “ganância das empresas e a incompetência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)” pelo acidente. “Sempre defendemos que o aeroporto deveria fechar enquanto a reforma não fosse concluída, mas ninguém quer abrir mão dos lucros.”

Camacho afirmou, ainda, que a pista deveria ter concreto poroso na lateral para que, em caso de derrapagem, o avião fosse detido pelo concreto, que afundaria, reduzindo as conseqüências do acidente. Mas isso, disse ele, nem sequer foi analisado pela
Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). “As pessoas
morreram gratuitamente
.”

Cheira-me a sangue no Montijo

Filed under: Sem categoria — Pp @ 11:07
Tags: , , ,

Um bom crime é a alma dum bom jornal tablóide.
Sangue na primeira página é garantia de mais 30% de vendas e de falatório certo no café da aldeia ou do bairro.
Os jornais mais populares e com alguns laivos de tablóide – com diferentes intensidades – 24 horas, Correio da Manhã e JN, escrevem muitas histórias sobre pequenos crimes.
Até que chega o dia do grande crime.

Estou a falar do crime do Montijo. Em que o pai terá assassínado toda a família e depois suicidou-se.
Comprei e li o “Correio da Manhã” para o ver com olhos “do povo”.
Confesso: fiquei arrepiado com o relato.
Mas pergunto: o relato é verdadeiro ou uma aventura romanceada? E será legítimo descobir causas possíveis como as descritas no jornal?
Fui ao café e não se falava doutra coisa.
É a magia do tablóide e a explicação pragtmática do fracasso dos jornais ditos de referência.

Horror: Família assassinada
Menina mais nova ainda se tentou esconder debaixo da cama

Joana, de 11 anos, foi a última a ser assassinada. Estava a dormir, acordou com tiros e, assustada, tentou esconder-se debaixo da cama. O pai, que já lhe matara a mãe e a irmã, aproximou-se dela de revólver em punho. A menina, de cócoras no chão, morreu com uma bala na nuca.

A mulher foi morta, à porta do quarto, com um tiro de
caçadeira na boca A única explicação que a vizinhança encontra para a tragédia assenta na vida de Adelino Freire: o empreiteiro enfrentava sérias dificuldades nos negócios e passava noitadas fora de casa. A família Freire vivia numa vivenda geminada, na Rua Cidade de Coimbra, no Montijo.

Na manhã de segunda-feira, muito provavelmente depois das 08h00, Adelino matou a mulher, Idalina, de 40 anos, à porta do quarto: encostou-lhe o cano da caçadeira à boca e disparou. Pouco depois, Adelino vai ao quarto da filha mais velha, Ana, de 21 anos, finalista de Engenharia. Ela está deitada e recebe um tiro de revólver na garganta. Mata a seguir a filha mais nova, Joana. Adelino larga o revólver, volta ao quarto, empunha outra vez a caçadeira. Deita-se na cama,
encosta o cano por debaixo do queixo e prime o gatilho.
…..
MOTIVOS POSSÍVEIS

DINHEIRO
Uma das causas apontadas para este
crime hediondo são os problemas financeiros por que passavam as empresas de Adelino Freire. Investimentos mal feitos estavam a levar o empresário à falência.

AMOR
O facto de Adelino Freire passar muitas noites fora de casa e, por
vezes, fins-de-semanas inteiros, poderá ter provocado uma ruptura conjugal.

LOUCURA
Certo é o estado de instabilidade mental a que o empresário
chegou – única justificação encontrada para ter morto de forma violenta a família.

in Correio da Manhã por Ricardo Cabral

17-Julho-2007

Aparecer no programa de tv errado

Filed under: Sem categoria — Pp @ 17:34
Tags:

Imagine-se no programa errado a responder a perguntas sem nenhum sentido para si.
E em que a entrevistadora tenta salvar-lhe o coiro. A si e a ela.
Num programa em que a sua mensagem principal até passa para os telespectadores.
Um belo exercício que responde à questão principal: como ir á tv e falar do que se quer seja qual for a pergunta.
Cá está o controlo da mensagem mediática levado ao extremo.

Página seguinte »

Create a free website or blog at WordPress.com.