Papel Principal

14-Dezembro-2006

Abriu a caça

Para se ser notícia uma das regras básicas é enviar os comunicados de imprensa para as pessoas certas.
As “pessoas certas” é um conceito subjectivo mas com jeitinho chegamos lá.
Normalmente “certo” é o editor.
Já agora o editor da área “certa”. Mandar um comunicado de imprensa candidato a notícia para o editor de desporto sobre um acontecimento da moda é ganhar um bilhete para o caixote do lixo.
Este exemplo é um exagero, uma caricatura.

E que tal mandar ao editor de saúde um notícia de veterinária?-

ICBAS investiga doença fatal para 90% dos coelhos adultos

Doença Hemorrágica do Coelho perturba economia e desequilibra ecossistema

Países como Portugal, onde a carne de coelho faz parte da dieta tradicional, têm vindo a sofrer perdas económicas, dada a elevada mortalidade desta doença, que provoca a morte de 90% dos coelhos infectados dentro das primeiras 72 horas. Caçadores mostram-se preocupados e ecologistas alertam para o risco de extinção das espécies predadoras, entre as quais o Lince Ibérico.

Evidências experimentais apontam para que sejam os coelhos jovens o reservatório deste vírus letal.

Os coelhos adultos infectados por este vírus morrem subitamente – entre 24 a 72 horas – sem apresentar previamente sinais de doença. O vírus do DHC aloja-se e multiplica-se no fígado muito rapidamente após a infecção, provocando a morte das células infectadas, pelo que é no fígado que se encontram as lesões mais graves.

O estudo desenvolvido no ICBAS demonstra que o sistema imunitário dos coelhos jovens (menos de oito semanas) responde à infecção pelo vírus da DHC, produzindo anticorpos que os protegem quando chegam à vida adulta e se tornam susceptíveis à doença. Para a resistência dos coelhos jovens a esta infecção pode contribuir o aparecimento no fígado infectado de linfócitos – células que podem reconhecer outras células infectadas por vírus, promover a sua destruição e funcionar como células da memória imunológica. Deste modo, quando o vírus invade o organismo pela segunda vez, a resposta imunitária é mais intensa e mais rápida, poupando a vida a estes coelhos na idade adulta.

Apesar de não identificar os mecanismos que permitem aos coelhos jovens sobreviver a esta infecção letal, o trabalho desenvolvido pelo ICBAS permite avançar nas investigações. Caso se comprove que os coelhos jovens são portadores assintomáticos do vírus na natureza, este estudo assume-se como um contributo essencial para a epidemiologia da DHC, pois vai permitir compreender alguns aspectos ainda enigmáticos do comportamento da doença nas populações dos coelhos.

Advertisements

1 Comentário »

  1. Acho encantador o tema do blog.
    Mas afinal, quais as pérolas da nossa assessoria ou consultoria de comunicação e de imprensa? De comunicação política ou de comunicação técnica? de Saúde ou outras?

    Comentar por Isabel de Santiago — 17-Dezembro-2006 @ 23:15 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: